Translate this Page


 




Isa Peripolli

Isa Peripolli
Professora de Dança do Ventre na empresa Espaço Terapêutico Caminhos da Luz
Estudos da Fraternidade Branca
Taróloga

Formação:
Estudou Turismo com Ênfase em Agenciamento e Eventos
na instituição de ensino Pontifícia Universidade Católica do Paraná
Dança do Ventre -  Sesc Curitiba – Aperfeiçoamento técnico com Mahaila El Helwa – Workshops com Alla Kushnir, Ju Marconato, Linda Hathor, Dayane Leme, Shalimar Mattar, Sophie Martinez entre outros.
Formação de Tarô Profissionalizante - Espaço Terapêutico Caminhos da Luz

Terapias 
Dança do Ventre

A dança do ventre é uma dança do oriente que vem conquistando mais e mais adeptos à sua originalidade com o passar dos anos. É conhecida por movimentos abdominais e por seu potente quadril. Toda a dança tem o papel de esbanjar criatividade, independência e é uma excelente forma de expressão corporal e emocional. Libertação!

Herdeira de uma cultura milenar datada entre 7000 e 5000 a.C., a localização geográfica exata de sua origem é duvidosa, pois os dados encontrados são escassos. A dança do ventre foi feita especialmente para o corpo feminino, baseada em uma sociedade matriarcal descendente do período neolítico e pagão, ou seja, culto a vários deuses. Dançavam pra celebrar, para agradecer, para cultuar. A dança era a expressão máxima e utilizada em toda a vida cotidiana.

Divindades como a Deusa Mãe, Nut, Isis, Hátor ou Gaia, eram veneradas na dança do ventre executada por sacerdotisas ao redor de fogueiras que celebravam, sob representação dos movimentos das serpentes (símbolo da fertilidade), a graça do poder da criação ser provinda de seus ventres. Elas também agradeciam a fartura de alimentos vinda das cheias do Nilo.

Dança do Ventre Terapêutica
A dança do ventre é uma das modalidades mais antigas do mundo e imediatamente ligada à feminilidade e sensualidade femininas.

Essa dança milenar pode, além de tudo, oferecer inúmeros benefícios para o corpo e a mente. Conheça alguns:

  1. Tonifica os músculos;
    Os movimentos vigorosos com os quadris, pernas, abdomem e braços ajudam a tonificar os músculos do corpo. Além disso, ao contrário do que muitas pessoas afirmam, não “dá barriga”.
  2. Melhora as condições de gestação e o parto;
    É
    muito benéfica para a saúde de seus órgãos internos. No passado, as mulheres faziam a dança do nascimento, onde se reuniam para ajudar na egrégora quando havia um parto a se fazer, então ondulavam suas barrigas, faziam movimentos de contração e relaxamento da musculatura abdominal e pélvica juntamente com a mãe que estava a parir. Essa prática é uma forma de preparar o corpo para a gestação e para o parto. Além disso, a dança do ventre ajuda a aliviar cólicas menstruais.
  3. Condiciona seu físico;
    Esses mesmos movimentos aumentam a circulação sanguínea e a frequência cardíaca, o que acelera o metabolismo, ajuda a queimar calorias e pode ser comparada a qualquer outro exercício aeróbico.
  4. Reduz o estresse;
    Por requerer tremenda concentração, a dança do ventre é ótima para lidar com as tensões do dia a dia e relaxar um pouco. Dedicar um tempo a você faz toda a diferença e traz maior qualidade de vida. É autocuidado e autoamor.
  5. Ajuda o seu cérebro;

Trabalhar em diferentes direções, alinhar postura, braços e coordenar os movimentos, são excelentes para exercitar o cérebro. Estimula o funcionamento e a agilidade mental enquanto aumenta a quantidade de oxigênio nas células cerebrais. A memorização das coreografias também é um exercício estimulante para a memória.

* Em sua forma terapêutica, são trabalhadas meditações, cirandas e reflexões. Essas práticas auxiliam na cura do feminino, na autoconfiança, autoestima, quebra de padrões negativos, abertura pro novo, determinação, autorespeito, autoconhecimento e afins. A troca de energia e experiência com as irmãs é muito benéfica e nos faz mais fortes, porque o todo é muito maior do que cada uma na sua individualidade. E quando uma mulher se cura, todas nos curamos.

Agende Seu Horário
Faça Uma Aula Experimental.

Dia: Terça – Feira
Horário:
21:00 às 22:30


Tarô Terapêutico


O que é?
O Tarô é uma ferramenta de autoconhecimento cuja origem não é exatamente conhecida. Há várias teorias sobre seu surgimento. Na Europa, era um jogo de cartas e também um jogo divinatório. Atualmente, cresce cada vez mais o uso terapêutico do Tarô.

Composto por 78 arcanos (mistérios ou segredos), o baralho é dividido em 22 Arcanos Maiores e 56 Arcanos Menores. Cada arcano traz conteúdos que todos nós experienciamos durante a vida. Os arcanos maiores retratam a jornada de vida do ser humano de forma ampla. Já os arcanos menores, divididos em quatro naipes, se referem a áreas mais específicas da existência.

O Tarô Terapêutico possibilita ao cliente entender melhor o que acontece com ele. Ajuda a trazer à luz conteúdos inconscientes, clareando o que está impedindo ou facilitando os acontecimentos. Ao clarear o que estava oculto no inconsciente, ajuda no autoconhecimento, na tomada de decisões mais assertivas e na escolha de como proceder diante de determinado assunto.

Como funciona?

O funcionamento do Tarô Terapêutico se apóia nos conceitos de arquétipo, inconsciente coletivo e sincronicidade, explicados por Carl Gustav Jung. Após estudar vários sistemas simbólicos, Jung percebeu que há certas imagens que se repetem, com diferentes roupagens, nas mais diversas culturas. Por exemplo, há a figura do herói ou da grande mãe, que podem ser representadas de forma diversa, mas sempre aparecem nas sociedades.

Essas “imagens primordiais” foram chamadas de arquétipos. Ao perceber que todas as culturas que estudou apresentavam esses arquétipos, mesmo que nunca houvessem tido contato umas com as outras, Jung criou a ideia de que existe um inconsciente coletivo, uma inconsciente de toda humanidade, repositório de arquétipos e experiências arquetípicas comum aos seres humanos.

Também reparou que muito do que se chamava de coincidências, na verdade, trazia conteúdos significativos para os envolvidos. Estudando mais a fundo, percebeu que há eventos que não se ligam por causa e efeito, mas por afinidade de significados. Um exemplo famoso dado pelo próprio Jung é o de uma paciente que havia sonhado com um escaravelho dourado e, enquanto lhe contava o sonho, um inseto semelhante bateu insistentemente no vidro da janela do consultório, espécie de inseto que não costumava entrar em locais escuros àquela hora do dia e que nunca aparecera ou voltou a aparecer ali.

Qualquer pessoa já passou por coincidências como pensar em alguém e receber um telefonema dessa pessoa ou sonhar com um amigo de infância e reencontrá-lo na rua. Para Jung, não se tratam de coincidências, mas de eventos guiados pelas leis da sincronicidade. Como todos temos uma ligação inconsciente significativa, através do inconsciente coletivo, eventos que tenham significados semelhantes para uma pessoa podem se “atrair”. Esse seria um dos princípios dos oráculos.

No caso do Tarô Terapêutico, os conteúdos inconscientes do cliente “atraem” as cartas que expressam e ajudam a clarear os significados do que ele está vivendo. Assim, ajudam a observar fora o que está dentro, além de apresentar caminhos arquetípicos possíveis para a solução das questões.

O Tarô é, na verdade, um grande contador da história do homem na Terra. E, assim como as histórias, ao retratar as questões pelas quais todos nós passamos e também os possíveis desenrolares de cada etapa, ajuda o cliente a se estruturar e a enxergar saídas para seus impasses.

Além disso, todos os arquétipos, assim como modo como as cartas aparecem dispostas e relacionadas ajudam também a ver de que forma o cliente está vivendo os arquétipos: de uma forma positiva, que o liberta, ou destrutiva, que o aprisiona.

Por exemplo, o Louco tanto pode representar alguém que se lança numa nova empreitada com total intuição e confiança na vida quanto alguém que tem atitudes irresponsáveis e impulsivas. Se está passando por um momento em que sai essa carta, pode escolher com que polaridade quer vivenciá-la e, assim, experimentar a energia da carta e do momento de uma forma mais nítida e positiva.

Para que serve?
O Tarô Terapêutico é uma ótima ferramenta para aqueles que querem compreender melhor o momento pelo qual estão passando ou estão em dúvida sobre determinado assunto. Também ajuda a entender por que certos padrões se repetem na nossa vida ou o que está nos impedindo de alcançar o que desejamos. A leitura terapêutica do Tarô auxilia no autoconhecimento e na ressignificação dos conteúdos, ajudando a observar as questões sob outro ângulo e a encontrar formas novas de lidar com elas.

Fraternidade Branca
Somos um grupo que busca estudar e praticar os ensinamentos dos mestres ascensos tal como divulgados pelos Mensageiros da Grande Fraternidade Branca, Mark L. Prophet e Elizabeth Clare Prophet por meio da The Summit Lighthouse e Church Universal and Triumphant.


NOSSA MISSÃO
Divulgar os ensinamentos dos mestres ascensos da Grande Fraternidade Branca, de acordo com o estabelecido por Mark L. Prophet e Elizabeth Clare Prophet, para o reconhecimento de que todos somos a manifestação individualizada do EU SOU.

VISÃO
O Grupo de Estudos Phoenix Lux deve ser uma referência na Região Sul do Brasil, na conciliação de inovações tecnológicas enquanto instrumentos para a divulgação dos ensinamentos dos mestres ascensos da Grande Fraternidade Branca, ao mesmo tempo em que mantém a fidelidade e o rigor na transmissão dos mesmos.

 VALORES
Exercer uma liderança fiel aos ensinamentos e coerente com os três princípios da chama trina: amor, sabedoria e poder.
 

Tarô Terapêutico

O que é?
O Tarô é uma ferramenta de autoconhecimento cuja origem não é exatamente conhecida. Há várias teorias sobre seu surgimento. Na Europa, era um jogo de cartas e também um jogo divinatório. Atualmente, cresce cada vez mais o uso terapêutico do Tarô.

Composto por 78 arcanos (mistérios ou segredos), o baralho é dividido em 22 Arcanos Maiores e 56
Arcanos Menores. Cada arcano traz conteúdos que todos nós experienciamos durante a vida. Os arcanos maiores retratam a jornada de vida do ser humano de forma ampla. Já os arcanos menores, divididos em quatro naipes, se referem a áreas mais específicas da existência.

O Tarô Terapêutico possibilita ao cliente entender melhor o que acontece com ele. Ajuda a trazer à luz conteúdos inconscientes, clareando o que está impedindo ou facilitando os acontecimentos. Ao clarear o que estava oculto no inconsciente, ajuda no autoconhecimento, na tomada de decisões mais assertivas e na escolha de como proceder diante de determinado assunto.


Isa Peripolli  
Cel/Whatsapp:(44)99722-3677
https://www.facebook.com/isa.peripolli.3